• Construindo uma estratégia para publicação de acervos em rede na infraestrutura informacional da Wikimedia

  • Voltar
 por 

Um dos pontos mais importantes dos projetos abertura e publicação de acervos digitais em rede é evidenciar novas formas de reuso da informação, permitindo com os objetos sejam remixados de diferentes maneiras, recontextualizados e sirvam como subsídio para a produção de novos conhecimentos. Cultura gerando cultura.

Tenho pesquisado várias formas de fazer isso e procurando identificar estratégias que sirvam para potencializar e ampliar o impacto dos acervos publicados em rede. O que mais tem me chamado atenção é o uso da infraestrutura informacional da Wikimedia Foundation, com seus vários projetos interligados, tais como Wikidata, Wikipedia, Wikimedia Commons, entre outros. As possibilidades de reuso da informação entre os projetos e a forma como isso pode ser socialmente compartilhado realmente chama a atenção para uma forma de construção da Internet que de fato potencializa a formação de coletivos inteligentes e valoriza os esforços institucionais de museus, bibliotecas e arquivos na constituição de seus acervos que agora podem ser mais facilmente apropriados em diferentes contextos.

No entanto, depois de muito navegar por links e projetos de várias experiências que tenho encontrado (preparei uma apresentação para uso interno na UnB registrando essas primeiras experiências e o impacto que já geraram) tenho percebido que não é tão fácil encontrar o detalhamento de como as estratégias foram executadas, os passos técnicos para isso, que ferramentas foram utilizadas, que formação é necessária, ou seja, organizar o processo de trabalho para se chegar na publicação dos acervos de maneira consistente.

Logo, na tentativa de mapear isso, organizo por aqui os vários conteúdos que encontrei e que me parecem dar boas pistas nessa direção. O primeiro que vale ressaltar é a apresentação feita por Edsonia Lopes e Juliana Monteiro. O foco é como fazer e organizar um projeto Wiki GLAM, levantando várias boas questões que precisam ser respondidas e evidenciando uma estrutura genérica de projeto que ajuda a pensar no foco, no escopo e nas etapas necessárias de experimentação com os acervos para que possam aproveitar da infraestrutura wiki da melhor forma possível. Uma segunda, com maior foco prático e mostrando algumas ferramentas e como elas podem ser utilizadas, é o material produzido por Vladimir Alexiev.

Uma das atividades que quero experimentar para o desenvolvimento de projetos é a situação de uma instituição que possui um conjunto de dados já tratado e gostaria de publicar esse conjunto inteiro na Wikidata, por exemplo. Na própria documentação fornecida pelo ambiente encontrei uma importante referência sobre os procedimentos para se fazer doação de dados ao projeto. Há também disponível várias listas de ferramentas que podem ser utilizadas, onde chama atenção as diferentes funcionalidades para edição de itens que podem ser feitas. Outro bom tutorial da documentação oficial da Wikidata é sobre como usar dados nos diferentes projetos da Wikimedia. Nesse tutorial se explica como as informações podem ser reutilizadas para enriquecer verbetes e facilitar o consumo específico de declarações que ressaltam as propriedades que queremos recuperar. Encontrei também um guia muito interessante que orienta como importar os dados para a Wikidata e me chamou bastante atenção a tabela que mostra os principais procedimentos técnicos para tratamento dos dados antes de serem inseridos na Wikidata. Aqui um tutorial simples mostra como ilustrar com imagens oriundas do Commons páginas da Wikidata.

Por fim, identifiquei esse trabalho excelente de produção de workshops no formato laboratórios experimentais para trabalhar com Wikidata. São 10 laboratórios, organizados pelos temas:

  1. como criar infocaixas automáticas (lab I);
  2. como preparar listas automaticamente na Wikipedia a partir de dados da Wikidata (lab II);
  3. como propor e utilizar identificadores (lab III);
  4. como adicionar grandes volumes de dados usando a ferramenta QuickStatements (lab IV);
  5. como fazer upload em massa em paralelo ao Wikidata e Wikimedia Commons usando uma ferramenta chamada GLAMPipe (lab V);
  6. como utilizar dados estruturados para arquivos de mídia (lab VI);
  7. como utilizar dados estruturados em mapas interativos (lab VII);
  8.   “Explorando e consertando ontologias na modelagem de dados”, com Andrew Lih e  “Imagens, metadados e gamificação do Wikidata”, com Magnus Manske (lab VIII);
  9. (…) outros a serem produzidos!

A utilização em conjunto dessas referências já propõe algumas formas possíveis de gerar experimentos de publicação e reuso de acervo no universo Wikimedia. Sigo compilando e buscando mais algumas referências nas próximas para em breve iniciar os primeiros testes práticos com uma ação piloto que devemos fazer em agosto. E segue o baile!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *